Páginas

Pesquisar este blog

EI VOCÊ VENHA SEGUIR TAMBÉM!

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

LANÇAMENTO DE: OS CONGREGACIONAIS. A PRIMEIRA OBRA DO GÊNERO EM PORTUGUÊS



Foi lançado no mês de Outubro o livro:OS CONGREGACIONAIS. Esta é a primeira obra em português que conta em detalhes a história do movimento Congregacional, a tradição protestante a fundar primeira igreja evangélica no Brasil (Igreja Congregacional Fluminense), em 1858. O livro se divide em nove capítulos e dois apêndices onde a fundação e a história Congregacional desfila com riqueza de fontes (quase 400 notas de rodapé). O índice se divide assim:

*Cronologia Congregacional Básica, onde estão registradas as datas importantes do Congregacionalismo.

I- "Entre Vocês não pode ser assim". Onde se fundamenta exegeticamente o sistema de governo das igrejas locais no Novo Testamento.
 II- O Congregacionalismo Sempre Vivo. Onde se mostra como os Pais da Igreja falaram do assunto e se dá os motivos para o surgimento do sistema monolítico (papal) de governo para a igreja. Ainda se mostra como alguns filósofos importantes e os reformadores entendiam a igreja e seu governo.
III- O Casamento Desfeito que deu Origem a uma igreja. Onde se relata o surgimento da Igreja Anglicana.
IV- Só Cristo é o Cabeça da Igreja. Onde está historificado o resgate do sistema Congregacional de governo para as igrejas locais, seus primeiros líderes e mártires na Inglaterra do séc. XVI.
V- Henry Jacob e o Congregacionalismo não Separatista. Mostra o que era essa ala dos Congregacionais primitivos.
VI- Os "Pais Peregrinos"; indo à Terra Prometida. Onde se conta a história das perseguições do Congregacionais ingleses, suas fugas até a famosa viagem do Mayflower para o que seria os Estados Unidos da América.
VII- A Liberdade na Inglaterra. Aqui é contada a história da Guerra Civil inglesa, da Declaração de Fé de Savoy, e e de como os Congregacionais se desenvolveram nesse contexto de batalha política e religiosa.
VIII- Os Congregacionais nos Estados Unidos; Avivamentos, divisões e Fusões. Onde está relatada a história do desenvolvimento dos Congregacionais americanos, e a participação preponderante em eventos tais como o Grande Despertamento com Jonathan Edwards. 
IX- A Cruz na Terra de Santa Cruz. Aqui se mostra a história de Robert e Sarah Kalley, os pioneiros do Congregacionalismo no Brasil. 
Apêndice I- A Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil. Onde se conta a história desta denominação.
Apêndice II- O Pioneirismo Congregacional. Aqui se mostra as obras feitas por Congregacionais que marcaram a história.
Além disso o livro é recheado de biografias de Congregacinais famosos como: Isaac Watts, D. L. Moody, C. H. Dood, Lewis  Sperry Chaffer, Martyn Lloyd-Jones, William Bradford, William Ames, P. T. Forsyth, etc. Abaixo algumas impressões de leitores da obra.


Considero esta obra um verdadeiro marco. Trata-se da primeira pesquisa acadêmica publicada em português que narra as raízes históricas da tradição Congregacional, desde sua origem, na Inglaterra, passando pela Holanda, Estados Unidos da América e Brasil. Temos bons livros que nos serviram nas últimas décadas com o objetivo de apresentar a nossa origem, mas sem a riqueza de dados históricos e sem citação das fontes. Cuidado devido que o autor tomou para deleite dos apaixonados pela História da Igreja! Finalmente, não podemos esquecer que a obra presta homenagem a uma das primeiras e mais ricas tradições, herdeira da Reforma Protestante. Portanto, como podemos verificar, a expressão “marco” faz jus à laboriosa contribuição de Joelson Gomes à família não só dos Congregacionais, mas dos Protestantes no Brasil.
Idauro Campos. Escritor, historiador, diretor do Seminário Teológico Congregacional de Niterói/ RJ, e pastor do quadro de ministros da União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil. 


O livro do pastor Joelson Gomes vem preencher uma lacuna na nossa literatura, e mui particularmente no contexto da igreja Congregacional. Se como entende o autor “um livro só deve ser escrito se for necessário”, então esse é um texto que justifica sua publicação. Mais do que isso. Justifica que todo líder e crentes interessados numa perspectiva bíblica e histórica do Congregacionalismo o examine com a devida atenção. O referido texto impressiona não apenas pela vasta pesquisa, envolvendo quase 400 citações, mas, sobretudo, pela riqueza dos conteúdos e poder de fundamentação. É importante ressaltar que o autor além do conhecimento e compromisso científico com a pesquisa, apresenta uma profunda convicção bíblico-teológica quanto ao governo Congregacional. Assim é que o livro oferece uma grande contribuição sobre o modelo bíblico de funcionamento da igreja, ao demonstrar que “a decisão final de um problema repousava na congregação” e que “a liderança era compartilhada e não imposta”. O leitor verá, ainda, que ao contrário da cultura atual, "os pastores locais exerciam força coesiva (de coesão, unidade) na comunidade e não coercitiva". E, finalmente, o autor mostra que a história do Congregacionalismo nos “orgulha” por seu legado de pioneirismo e de virtudes.
Aurivan Marinho. Palestrante renomado em todo Brasil, pastor do quadro de ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, da qual foi presidente por vários mandatos, e professor no Seminário Teológico desta mesma denominação.


Saudamos com muita alegria o livro: OS CONGREGACIONAIS. Sem dúvida alguma, temos em mãos, uma grande contribuição para os Congregacionais de nosso país. O livro é rico sobre vários aspectos e com certeza fomentará discussões interessantes sobre a nossa herança Congregacional. A obra possui linguagem clara, livre dos entraves linguísticos peculiares a muitas obras historiográficas produzidas em ambientes acadêmicos. O leitor perceberá a facilidade com a qual se verá envolvido e seduzido pelo enredo traçado pelo autor. É possível que o leitor discorde de algumas abordagens e interpretações do autor, como também é possível que não o siga em todas as conclusões a que chega a sua pesquisa. O que não é possível é negar a relevante contribuição do trabalho ora apresentado ao público Congregacional. Não tenho qualquer sombra de dúvida que essa pesquisa contribuirá para o enriquecimento do saber e o fortalecimento da identidade Congregacional em nosso país, mostrando-nos que todos nós temos razões nobres para nos alegrarmos e até, falo com toda reverência, nos orgulharmos de nossa herança e de nossos antepassados Congregacionais. Rogamos a Deus que a obra sirva para fortalecer nossas estruturas e consciências acerca de quem somos e de onde viemos, já que, como a história é o fio da identidade comunitária, uma comunidade sem consciência histórica é uma massa alienada que não sabe de onde veio nem para onde vai e, portanto, nunca compreenderá as razões pelas quais faz o que faz.
Bruno César Araújo. Historiador, pastor e diretor do Departamento de Educação Teológica da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, e professor no Seminário Teológico desta mesma denominação.


No Livro OS CONGREGACIONAIS, Joelson Gomes desenvolve de forma cronológica e primorosa, uma apresentação abrangente do Congregacionalismo, tendo em seu arcabouço uma analise bíblico-histórica de todos os períodos e fatos feita com clareza de detalhes, dando sempre ênfase a personagens que contribuíram para desenvolvimento dessa forma de governo. Nós estamos diante de uma obra única e necessária, que nos fará conhecer melhor a história e o governo Congregacionalista em nossos dias, principalmente no Brasil.
Hugo Wagner Silveira Melo. Diretor do Departamento de Educação Religiosa e Publicações da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, pastor e professor do Seminário Teológico desta mesma denominação.


O autor, pastor e professor Joelson Gomes apresenta com veracidade e autenticidade fatos documentais da história Congregacional, seu pioneirismo, passando pela Inglaterra e convergindo para o Brasil. Temos na narrativa deste livro uma coletânea de referências aos Congregacionais, mostrando a construção de sua história ao longo do tempo. É uma contribuição que nos oferece um acervo Congregacional de dados históricos, biográficos e bíblicos. O livro será útil ao estudo desta história a vários seguimentos de ensino denominacional, e em seus seminários bíblicos.
Carloson Roberto. Faz parte do quadro de ministros da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, é membro do Departamento de Educação Teológica, professor e diretor do Seminário Congregacional da ALIANÇA em João Pessoa/PB.


Indiscutivelmente Joelson Gomes deu-nos um grande presente, uma vez que esta obra preenche sabiamente uma lacuna existente em língua portuguesa. OS CONGREGACIONAIS é aquele tipo de livro semelhante a um bom filme, ao passo em que as cenas vão acontecendo, o nosso envolvimento, curiosidade e interesse vão aumentando, porém, de repente, percebemos que o filme está acabando e já começamos a lamentar dizendo: “o que é bom dura pouco.” OS CONGREGACIONAIS é um escrito lúcido, bem pensado, preciso e, acima de tudo, totalmente bíblico. Sendo assim, aperte os cintos e embarque nesta bela história conhecendo a tradição e o grande legado deixado pelos congregacionais.
Valker Neves. Formado em Teologia, Psicologia, Administração e Mestrando em Hermenêutica do NT. Pastor da Igreja Evangélica Congregacional Zona Sul em Campina Grande/PB, e segundo secretário da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil.



Ler OS CONGREGACIONAIS é um grande deleite para mente, um texto riquíssimo em citações e de boa fundamentação bíblico – teológica que rapidamente seduz os estudantes mais dedicados. Joelson Gomes escreve não só com sua mente fértil, mas com seu coração apaixonado pelo conteúdo de seus escritos o que é típico de um reformado experimental. Esse livro não pode faltar em sua biblioteca, desde que suas lições perpassem em sua mente e seu coração.
Anderson Firmino. Graduado em Teologia, Pastor e Vice-diretor do Conselho de Pastores da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil.



PEDIDOS: 
alianca.b@hotmail.com
81- 3049-2063/3063
Enviado para todo Brasil

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

A EXPOSIÇÃO DO SANTANDER QUE INCENTIVAVA A PEDOFILIA E DESRESPEITO. VEJA AS IMAGENS

 Por Joelson Gomes

O Santander Cultural em Porto Alegre /RS não aguentou a pressão e cancelou o festival de putaria que os moderninhos da esquerda e apoiadores da imoralidade do gayzismo chamam de exposição. Todos os objetos expostos lá são um show de mal gosto, panos pendurados, desenhos mal feitos e imagens que incentivam a pedofilia, zoofilia, e desrespeito a símbolos religiosos. O interessante desses "artistas" é que quando querem falar de religião nunca fazem nada com símbolos muçulmanos, só pegam para Cristo os símbolos cristãos (eu sei a piada foi péssima). Pois bem, mesmo com boa parte da "imprensa" ficando ouriçadinha e subindo nas tamancas o banco fechou o cabaré, que era aberto até para crianças assistirem. A mostra tinha o objetivo de expor trabalhos com temática LGBT, questões de gênero, e diversidade sexual, e  ela expõe o que é a cabeça desse pessoal que apoia a causa. Eles não tem limites com respeito a baixaria em todos os níveis. Não acredita? Acha que estou sendo radical? É papo de religioso? Abaixo vão algumas das "obras" expostas.


Sexo com animal (zoofilia)

óstias com palavras: vagina, lingua, cu, etc

Jesus apresentado como o deus Xiva do Hinduismo

Crianças com nome: criança viada

Criança com nome: criança travesti

Criança em pose sensual e na testa o símbolo dos gays

Maria com um macaco no colo como se fosse Cristo

Quadro com cenas de homossexualismo e zoofilia

E aí curtiu? Essa é a cultura e a bandeira da maioria dos que defendem a modernidade e o gayzismo. Tire suas conclusões.

sábado, 29 de julho de 2017

LEITURAS - EM BUSCA DA IDADE MÉDIA

Jaques Le Goff. Em Busca da Idade Média, 3a ed. (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008).

Jacques Le Goff se não é o maior, mas está entre os maiores especialistas em Idade Média do mundo. Dedicou sua vida a esse recorte da história humana que ele não gostava de chamar pelo nome dão: Idade Média. 

Neste livro em forma de entrevista ele responde as perguntas de Jean-Maurice de Montremy, e fala sobre fontes, renascimento, igreja, poder, humanismo, feudalismo, purgatório, economia, e muitos outros temas com a maestria que lhe é peculiar. Fala de seu trabalho, como foram compostos seus livros e como a Idade Média modelou a cultura ocidental. Na opinião dele essa época estudada é muito estranha a nós, mas devemos mais a ela do que queremos admitir. 

Ele analisa seus trabalhos conta como escreveu seus livros e a importância deles. Ele chega a conclusão que somos frequentemente medievais e nos julgamos muito modernos.

A edição da Civilização Brasileira é muito bem cuidada, tem só uma palavra grafada errada na p. 138, mas nada que comprometa. 
Recomendadíssimo.
NÃO PARE AQUI VÁ PARA OS TEXTOS MAIS ANTIGOS.